Owpoga Games


[ Our world powered by games ]®
26 Jun 2017

Missão


Melhor é acender uma vela do que amaldiçoar a escuridão.



Agir em escala global através de recursos que despertam interesses em diferentes grupos com diferentes propósitos
Buscar recursos inovadores com potencial para uma transformação sempre com foco na educação para responsabilidade socioambiental.
#Educar, #contribuir, #estimular, #incentivar, #promover, #sustentar, #apoiar, ...

O que define nossa missão?
O que nos motiva a pensar dessa forma?

Não existe um só lugar em nosso planeta que não necessite de nossa atenção e cuidados.

Para onde quer que olhemos, podemos perceber que nenhum órgão governamental é capaz de resolver todos os problemas em seus territórios.

Graças a generosidade e disposição de milhares de pessoas, que ao redor do mundo, dedicam suas vidas para tentar ajudar a resolver problemas socioambientais assim como oferecer ajuda humanitária em locais atingidos por catástrofes naturais, as chamadas organizações não governamentais com responsabilidade socioambiental, é que as coisas não estão piores.

Existem centenas de milhares dessas entidades/organizações.

Todas elas, para que possam realizar suas ações, contam com a empatia e generosidade humana, para conseguir levantar fundos capazes de sustentar seus projetos.
A grande maioria das pessoas são sensibilizadas pelas campanhas de arrecadações para elas, no entanto, mesmo sendo empáticas, muitas vezes não tem a condição necessária para realizar algum tipo de contribuição.
Durante anos, em todos os trabalhos para internet de minha autoria, dediquei sempre um espaço para divulgar essas ações e a necessidade da participação de todos nesse processo.
Vejo a internet como a melhor possibilidade de conseguir realizar um trabalho realmente eficiente neste sentido.
Penso que somos mais de 7 Bilhões de pessoas conectadas e que temos um força, um poder incrível para mudar a forma como conduzimos o nosso mundo.
Problemas sociais como falta de oportunidade de trabalho, discriminações de todos os tipos, má distribuição de rendas, falta de cuidados médicos, dificuldades de acesso a educação, saneamento básico, alimentação, são apenas alguns dos principais problemas enfrentados por todo e qualquer nação.

Milhões de pessoas em todo o mundo passam por dificuldades que talvez, muitos de nós, sequer conseguimos imaginar, e portanto superar tais problemas nos pareceria impossível.

Meu trabalho atual tem sido a busca por soluções que consigam aliviar, e se possível, libertar essas ONGs de suas tarefas para levantamento de fundos.

De que forma?

Muito simples, promovendo a educação para responsabilidade socioambiental.

Um ideal humanitário global, como nunca se viu antes.

Muitos são os que participam espontaneamente de algum tipo de atividade em ONGs, quer seja com doações quer seja com trabalhos voluntários; por serem poucos, as demandas apenas crescem, já que as populações mundias estão em franco crescimento e a cada ano que passa isso apenas se multiplica.
A falta de alimentação, o crescimento desordenado das populações, são fatores importantíssimos para o agravamento desta situação.
Esse crescimento desenfreado está afetando o planeta colocando em risco todas as formas de vida existentes nele.
Os oceanos estão ficando acidificados, por causa dos poluentes químicos, emitidos pelas indústrias, consequentemente o bioma marinho vem sofrendo um declínio muito grande e acelerado. Os plânctons responsáveis por grande parte do oxigênio que respiramos, diminuiu cerca de 20% nos últimos tempos.

Em 100 anos, metade da vida em nosso planeta poderá deixar de existir se não fizermos algo agora.
Doenças que haviam sido erradicadas, na maioria dos países, estão ressurgindo com um velocidade incrível, principalmente em países abandonados pelo restante do mundo, os chamados de países de 3º mundo. Para quem acha que é um problema distante, é bom rever esses conceitos, pois estamos em um mundo globalizado, tanto pelo meios de comunicação, quanto de transportes. Para que uma epidemia se transforma em pandemia, hoje em dia é mais fácil do que a 50 anos atrás.
Estamos no século 21, e ainda vemos crianças morrendo de sarampo na África, pior, morrendo de fome; enquanto que países como os Estados Unidos estão lidando com um problema totalmente inverso, o acesso ilimitado a alimentos causando obesidade mórbida.
Não pretendo resolver todos esse problemas, apenas tenho o profundo desejo de mudar os conceitos e a forma que temos feito as coisas.
Sei bem que a base para isso é o conhecimento, e que este está alicerçado pela educação; assim como mencionei anteriormente, servir de exemplo é, no meu ver, a melhor forma de educar. É possível impactar, mas para isso é preciso que haja colaboração, de forma que esse tipo de ação se torne conhecido por milhões de pessoas.
Se hoje houver uma empresa que assim como eu, declare e rotule seus produtos afirmando sua atitude de realizar o compartilhamento da renda como proponho, eu com certeza darei preferência a esses produtos. Hoje em dia, muitas são as empresas que já dedicam muitos recursos para ações de responsabilidade socioambientais, mas também é muito comum, percebermos que são focais, e que também em muitas delas são apenas estratégias de marketing.

Ajudar a quem ajuda, essa é a filosofia.

Meu trabalho é uma obra independente, ofuscado pelo poder econômico de grandes empresas que atuam no mesmo setor, ainda não tem números relevantes que permitam comprovar sua eficiência.
No entanto, qualquer um com um mínimo de disposição e capacidade de observação, poderá enxergar claramente o potencial.
Vale a pena saber

Preço das vacinas aumentou 2700% na última década

Levantamento da ONG Médicos Sem Fronteira mostra que antes era possível imunizar crianças com R$ 3, hoje são mais de R$ 85

Um levantamento da organização humanitária francesa Médicos Sem Fronteira (MSF) indica que o preço global do pacote básico de vacinação para crianças aumentou 2700% na última década. Em parte, porque o número de imunizações recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) subiu de seis para 11, mas também devido à disparidade de preços de duas vacinas novas.

Há dez anos, diz o MSF, era possível vacinar uma criança com 1,37 dólares (cerca de 3,05 reais). Hoje, as 11 vacinas saem por 38,80 dólares (cerca de 86,52 reais). Os preços utilizados como base para o levantamento são os obtidos pela Aliança Mundial para Vacinas e Imunização (GAVI), entidade parceira da Organização Mundial da Saúde (OMS) que auxilia os governos de países pobres a obterem os menores preços globais de vacinas.
publicado 21/07/2013
Fonte: http://www.cartacapital.com.br/sociedade/precos-das-vacinas-aumentou-2700-na-ultima-decada-3994.html
Em janeiro, MSF divulgou o relatório “A dose certa: derrubando barreiras para vacinas acessíveis e adaptadas”, que demonstrou que, nos países mais pobres, o preço para vacinar uma criança é atualmente 68 vezes mais caro do que em 2011, e muitas regiões do mundo não podem arcar com os novos e altos custos das vacinas, como a que combate a doença pneumocócica, que mata cerca de um milhão de crianças por ano.

“Como médicos que já viram muitas crianças morrerem de pneumonia, lutando para respirar, estamos pedindo a qualquer um que se importe com a vida das crianças para que se junte a nós em nosso pedido público a Pfizer e a GSK para garantirem que países em desenvolvimento possam arcar com os custos para proteger todos os seus bebês contra essa doença mortal”, afirmou o Dr. Greg Elder, diretor de operações de MSF em Paris. “Os altíssimos preços cobrados pela Pfizer e pela GSK pela vacina pneumocócica impedem que muitos governos e organizações humanitárias vacinem crianças. Depois de observar o custo de vacinação de uma criança aumentar substancialmente na última década, não temos alternativa que não agir imediatamente.”

[24/04/2015]
Fonte: http://www.msf.org.br/noticias/msf-lanca-campanha-global-para-reduzir-o-preco-de-vacina-em-paises-em-desenvolvimento


MSF vacina mais de dez milhões de crianças todos os anos contra doenças como o sarampo e a meningite e, mais recentemente, a doença pneumocócica.


...
Em países onde a cobertura vacinal é geralmente baixa, MSF batalha para oferecer as vacinas de rotina para todas as crianças com menos de cinco anos como parte do programa de cuidados de saúde básicos. No programa, estão incluídas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde: DTP (difteria, tétano e coqueluche), hepatite B, Hemophilius influenzae tipo b (Hib), BCG (contra tuberculose), papilomavírus humano, sarampo, polimielite e rotavírus.
...
Fonte: http://www.msf.org.br/o-que-fazemos/atividades-medicas/vacinacao


Como já deve ter percebido, poderíamos escrever terabites de motivos e argumentos, mas nem precisamos, pois estão ai, a vista de todos, em todos os cantos.

Em apenas 3 anos poderemos salvar cerca de 3 milhões de crianças, apenas com vacinas.

Este é um trabalho de impacto GLOBAL, que com certeza absoluta irá mudar o mundo para sempre, um novo caminho, com novas atitudes. Só precisa que você acredite como eu acredito, apenas isso.

Se você está interessado em uma grande ideia, essa é gigantesca.

Enquanto isso tudo não se tornar realidade, milhões de crianças, animais e plantas irão morrer somente este ano. A poluição aumentará, mais espécies serão extintas. Pense nisso.

Agora pense também, quando esta revolução na forma responsável de consumo e comercialização de produtos e serviços começarem a agitar as redes sociais e começar a se espalhar pela internet, as grandes empresas, digo, as gigantes como: Coca-Cola, Nestlé, General Motors, Shell, as cervejarias, empresas aéreas, empresas de ônibus, laboratórios de medicamentos, industria têxtil, industria de alimentos etc. Qual delas nã se sentirá envergonhada por não destinar parte de seus lucros líquidos?

A Coca-cola, por exemplo, fatura R$ 17,7 bilhões no Brasil em 2010 e vendas sobem 11%.
A empresa obteve lucro líquido consolidado de US$ 5,784 bilhões entre outubro e dezembro de 2010
.

Entendeu?

Brasil - 2010 - 3 meses.

Uma empresa com responsabilidade socioambiental mas com pequenas ações realizadas apenas através de seu Instituto, que provavelmente deduz de impostos.

Para nós é inadmissível, aceitar que 1% da população mundial seja detentora de metade de todo o dinheiro circulante no planeta.
Que apenas 68 pessoas, sejam donas de 30% do dinheiro do mundo, enquanto crianças morrem por falta de uma vacina de US$ 0,50; animas, como os tubarões, estejam sendo dizimados para que grupos de pessoas saboreiem uma sopa com suas barbatanas. São 100 mil tubarões todos os anos. Um prato dessa sopa pode custar até 100 dólares nos restaurantes.



Um de nossos jogos apenas para o trabalho(gratuito) de conscientização.
Kebrakoko RacingExtinction




Owpoga Games

*® Este sistema e todo seu conteúdo estão protegidos pelas leis de direitos autorais (registro de programa de computador) 2015