Table of Contents
PreviousNext
 
 
Advertising

Técnicas e estratégias práticas.

Planejamento

Como planejar seu e­mail marketing: planejamento, calendários e fluxos de nutrição

E-mail marketing é relacionamento. Você já imaginou começar um relacionamento com uma pessoa já com um pedido de casamento? Impossível…

Segure o ímpeto! Para criar um relacionamento duradouro, fiel, com confiança, é preciso paciência.

Em vez de sair enviando e-mails sem propósito, dedique-se ao planejamento, que serve para definir o objetivo final e o caminho até ele.

Vamos ajudar com um passo a passo para montar a sua estratégia de nutrição de leads, que você pode adaptar para outros tipos de envios (newsletters, promocionais etc.).
Definição da persona

Sem uma persona, você perde toda a orientação de criação de estratégias e conteúdos. Afinal, sem saber para quem você escreve, não tem como estabelecer uma conversa.

A persona é a descrição fictícia de um cliente ideal da sua empresa, baseada em dados reais, coletados com pesquisas e observações.

Descreva seu perfil, seu dia a dia, suas dores, seus desafios, e como a sua empresa poderá ajudá-la.

Você pode também utilizar nossa ferramenta gratuita de geração de personas para ajudá-lo nesse tarefa.

Depois, na criação dos conteúdos, tenha essa pessoa em mente, para que sua mensagem se conecte de fato com ela.
Definição do objetivo

Assim como a persona, sem a definição dos objetivos você também perderá o rumo. Se você não sabe aonde quer chegar, sequer conseguirá sair do lugar para começar a agir.

Então, durante o planejamento, esclareça bem com a sua equipe qual o objetivo, que pode ser vender um produto específico, melhorar o relacionamento, reativar clientes antigos etc.
Planejamento dos conteúdos

Em um fluxo de nutrição, o primeiro passo para definir os conteúdos é identificar qual ação do usuário desencadeará a sequência de e-mails.

Muitas vezes é o download de um e-book básico que insere o usuário em um fluxo de envios para aprofundar o assunto. Outro exemplo é quando uma empresa contrata seu serviço e você envia uma sequência de “boas-vindas”.

A partir da ação inicial, você pode definir quais conteúdos devem ser enviados em cada etapa do funil (iniciante, intermediário e avançado).

Talvez seu blog já tenha publicações sobre o assunto; mapeie esses posts e utilize-os. Se não, analise o que ainda deve ser produzido. Lembre-se de manter uma sequência lógica entre um envio e outro, para que o lead evolua.
Determinação da frequência de envios

Na nutrição de leads, o que determina a frequência de envios é o cruzamento entre o ciclo de vendas (desde quando era visitante até se tornar cliente) e o tempo que uma pessoa precisa para absorver os conteúdos do último e-mail.

A jornada de compra do consumidor varia de acordo com o negócio: a venda de uma plataforma de CRM, por exemplo, demora muito mais do que a de um tênis.
Identificação de métricas e KPIs

Nessa etapa, você perceberá a importância de definir um objetivo lá no início. Com um objetivo claro, fica mais fácil definir suas métricas e indicadores-chave de performance.

Eles servirão para mensurar seu desempenho, mas encare também como um aprendizado para otimizar suas futuras campanhas.

Provavelmente você sempre fique de olho no número de vendas e no ROI. Mas outros KPIs intermediários também são importantes, como o CTR (relação entre taxa de cliques e quantidade de e-mails disparados), a taxa de conversão (quantidade de pessoas que clicaram no CTA e realizaram a ação) e o bounce rate (envios que não chegaram ao usuário).
Advertising


Aproveite também nossas dicas OWPOGA:

PreviousNext